Posts Tagged ‘ódio’

63 – Calor

February 22, 2017

maxresdefault

Qual a graça que as pessoas acham que tem em ser transportado para a virilha do Capeta em meio de uma sauna no terceiro círculo do inferno é algo que eu nunca vou entender.

Pois é mais ou menos isso que o verão faz com as pessoas, você vai até a esquina e em menos de 2 passos já está suado, levanta da cadeira para pegar água e já está suado, acabou de sair do banho e quando você percebe, está enxugando o suor do corpo pois a água já evaporou.

Tudo fica um pouco pior no calor, até atividades mais simples como dormir se tornam um martírio, já que você tem a escolha de passar calor enquanto se esconde de pernilongos, fica exposto a essas criaturas satânicas ou morrer sem ar de tanto inseticida você tem que passar no seu quarto.

“Ah, mas ir pra praia é legal” você diz e eu respondo: “Legal é ganhar na mega-sena”, ir para a praia é como não estar feliz em ser queimado em uma frigideira e decidir que rolar no fogo deve ser ainda mais legal, só que esse fogo é feito de areia quente, sujeira para todo o lado que você olha, pessoas cultivando câncer de pele, fila para comprar pão (oi?) e pagar mais caro por qualquer coisa que você for comprar…espetinho de queijo coalho duvidoso? 10 reais. Picolé feito de água de chuva? 8 reais. Fora o mar poluído, se água do mar fosse boa as casas e prédios da praia não teriam piscina.

Não importa o quanto de líquido você consuma, nunca vai ser o suficiente já que você suará mais que um porco dentro do forno, então você precisa beber cada vez mais líquido, mas quanto mais você bebe, mais você vai suar e quanto você mais suar, mais água vai beber e assim você estará preso em um círculo sem fim sem a menor chance de escapar até que a estação mude.

Pior ainda quando o verão atinge o nível super sayajin e não existe o termo “está esquentando”, o sol já aparece no horizonte full blast fazendo com que você acorde 6 da manhã se perguntando se por acaso sua casa está pegando fogo ou se você foi magicamente transportado durante o sono para dentro de um forno industrial.

Alguém aqui teria coragem de dizer que as chuvas de verão também não são um tipo de castigo divino de um deus que não está feliz o suficiente em assar sua criação e para completar acha divertido afogar um pouquinho as pessoas, ou esmagá-las com árvores.

E para os adolescentes que estão lendo isso aqui e pensando desde o primeiro paragrafo que a coisa boa do verão é ver mulher de pouca roupa, você pode fazer isso da sua casa em qualquer estação do ano, já que as chances de você transar com aquela menina de saia que passou na sua frente é quase a mesma de transar com as mulheres que você vai ver da tela do seu computador.

Em suma, o verão é uma estação maldita que não serve para nada a não ser fazer a gente passar mal e se você não concorda comigo, você está errado.

Advertisements

62 – Loja Online Ponto Frio

June 16, 2016
ponto frio

As atendentes do Ponto Frio são treinadas para não ligarem para apelo humano

O universo conspira para que eu não abandone esse blog e como ele faz isso? Fazendo com que as mais simples tarefas da minha vida sejam testes hercúleos de paciência.

Quem aqui já fez compra pela internet e recebeu o produto sem maiores problemas? Eu já recebi mercadoria até da Holanda (wink, wink) em apenas 10 dias, ou seja, comprar uma geladeira em uma loja brasileira não seria problema nenhum, certo? Ainda mais se essa loja for uma loja grande e conhecida do público, com um time incrível de mídias sociais que adora fazer graça com o mascote da loja, um adorável pinguim.

Minha saga começa no dia 18/05, com a minha geladeira não sendo entregue na data marcada pelo Ponto Frio, mas pô, é Brasil, teve (ou não teve) Golpe, Olimpíadas chegando…vai saber se o meu entregador não pegou Dengue? Decidi esperar mais uns dias e entrar em contato com o chat de atendimento e isso foi a pior coisa que eu poderia ter feito.

O atendimento por chat é feito por uma equipe de 3 pessoas, julgando pelo tempo que você fica na fila (19 minutos cronometrados) e ao ser atendido você percebe que está mais na merda do que se imaginava, um tratamento indiferente, uma falta de vontade aparente e a promessa vazia de que você vai receber um retorno em 5 dias úteis.

Depois que 5 dias se passaram eu entrei novamente em contato, já que eu percebi que o pinguim deveria estar muito ocupado caçando seu jantar ou aprendendo a digitar sem ter dedos para que pudesse resolver meu problema. Outros 16 minutos esperando para ser atendido e mais uma promessa de retorno, mas dessa vez mais rápido, apenas 3 dias úteis! Uau!

E depois de 3 dias o que aconteceu? Acertou quem disse que eu voltei no chat (23 minutos, um dos 3 atendentes devia estar com diarreia) e reclamei mais uma vez, afinal o Ponto Frio poderia pelo menos ter respondido no prazo, mesmo para me dizer que minha geladeira foi sequestrada pelo Estado Islâmico e que já foi convertida. A atendente novamente me deu um prazo de 5 dias e quando perguntei de que adianta dar o prazo se eu não vou ser atendido nele, ela simplesmente disse que era assim e quando fui apelar para a sua humanidade ela desliga o chat na minha cara.

Esgotados os caminhos mais simples, fui até o reclame aqui para reclamar lá sobre a minha geladeira terrorista.

Menos de 6 horas depois que publiquei minha reclamação, uma atendente do Sr. Pinguim entrou em contato comigo por telefone e me deu um prazo de 3 dias úteis (yay!) para resolver meu problema. Pensei comigo mesmo que agora sim eu teria minha geladeira, que a vida era maravilhosa e que aves que não voam, embora estranhas, podem ser confiáveis.

Minha resposta chegou com um dia de atraso e o Sr. Pinguim DEVE TER ENFIADO MINHA GELADEIRA NO CU pois a atendente do Ponto Frio respondeu que não responderam a solicitação dela então ela não pode responder minha solicitação e que eu devo aguardar eles terem a solicitação que abriram respondida para que possam responder a minha solicitação em aberto. E isso, senhoras e senhores, é mais ou menos o que o 8º círculo infernal deve ser.

Vamos recapitular nossa história amiguinhos. O Ponto Frio não cumpre nenhum prazo de resposta pelo atendimento via chat (e 2 via texto, mas esses nem valem a pena mencionar), eles te respondem apenas pelo reclame aqui, as respostam podem variar de 3 dias úteis até a segunda vinda de Cristo e descobrimos que é possível perder uma geladeira de mais de 1,70m de altura.

61 – Futebol da Gulliver (anos 80)

May 17, 2016

jogo-de-futebol-gulliver_MLB-F-237039593_2790

Sim senhores leitores, novamente lembrei que tenho um blog e que preciso escrever alguma coisa aqui já que disse na entrevista de emprego que eu tenho um blog.

Aqueles de vocês que estão na casa dos 30 devem estar familiarizados com o brinquedo da imagem acima, o super-hiper-mega-blaster FUTEBOL Club da Gulliver que era muito melhor que aquela porcaria de futebol de botão, ou assim as propagandas nos fizeram acreditar. Qual criança não trocaria discos amorfos por incríveis bonequinhos com pernas para chutar de verdade? Eu te digo qual criança, uma criança esperta… o problema é achar uma.

Eu implorei para minha mãe me dar esse maravilhoso brinquedo dos deuses dia e noite até que ela foi vencida mais uma vez pelo cansaço (filho único FTW!) e fomos até uma loja de brinquedos. Lembro do meu olhar de desdém para com as embalagens de peças de futebol de botão enquanto pensava que futebol de botão era tão ruim que a bolinha nem era uma bolinha de verdade.

Foi quando eu cheguei em casa e todos os problemas começaram.

O “gramado” era feito de um feltro de uma qualidade tão bosta que era mais fácil o Império Otomano renascer do que você conseguir esticar essa obra de Satanás, podem tentar passar com ferro, mandar seu amigo gordo rolar em cima ou fazer macumba, mas nada vai fazer essa porra de gramado ficar liso e olha só que legal, não dá pra jogar futebol com a porra do campo todo ondulado pois a bolinha, que é redonda de verdade, não para em lugar nenhum ou não vai para lugar algum dependendo de onde ela estiver e quando você ficava com raiva e “chutava” forte, a bolinha saia de campo.

Os bonequinhos eram de um plástico tão vagabundo, mas tão vagabundo, que a perna de um dos jogadores quebrou logo que eu dei o primeiro chute, já que para chutar você aciona uma alavanca na perna do jogador, fazendo com que eu tivesse quebrado um jogador antes mesmo de conseguir deixar a porra do “campo” esticado.

Um dos pontos fortes da propaganda era que os jogadores tinham pés diferentes, um para lançamento, outro para escanteio, um para passe e assim vai. Mentira, tudo mentira! Os formatos podiam até ser diferentes, mas a bola ia sempre para o mesmo lugar, que é qualquer lugar menos o lugar que você chutou a bola fazendo com que durante o jogo inteiro você precisasse arrumar a bolinha com a mão, contrariando o conceito do futebol e do que seria uma brincadeira divertida.

Obrigado Gulliver, por fazer um brinquedo tão frustrante quanto tentar arrancar aquela pele que fica presa no canto do dedo e tão divertido quanto ter um peixe de estimação.

Devia ter comprado um Comandos em Ação.

60 – Esse lanche do A Chapa

February 4, 2016

20160127_143327_HDR

Sim, faz tempo que eu não posto, não eu não abandonei o blog e definitivamente não acabaram as coisas que eu odeio.

Olhem bem para esse hamburguer…não, olhem bem mesmo, eu espero. Agora olhem para a foto abaixo e respondam sinceramente: Você pediria esse hamburguer se a foto de cima estivesse na descrição do produto?

burguer

Esse é o “Monsterburguer” da lanchonete mencionada no título que eu tive o desprazer de pedir quando fui com a patroa, patroa essa que tinha certeza que servia café da manhã o dia todo e adivinha? Claro que não serve. Então resolvi me empanturrar de bicho morto.

Esse lanche é tudo o que existe de errado no mundo, ele foi a condensação de toda a apatia no mundo, transformada num “hamburguer” sem graça e mal frito. Eu sentia minha alegria esvair de meu corpo a cada mordida, como se esse lanche fosse um dementador do Harry Potter, me deixando mais triste e inconformado que eu paguei 37 dinheiros por isso.

Não lembro de ter ficado tão triste na vida depois de comer um hambarga, já fiquei chateado com alguns damburguers que comi, mas todos me satisfizeram bem ou mal mas esse Monsterburguer fez eu pensar que o chapeiro que fez o lanche está com depressão profunda e a beira do suicídio e por isso não liga de servir um dambérguer daqueles congelados de um real e ainda cru.

Um hamberguer monstro que de tão fino, parecia que o monstro escapou e ele pegaram o filho dele no lugar e esse filho estava em depressão, sem trocar as fraldas por 7 semanas e estava todo vomitado por cima… e mataram ele pisando em cima… e depois deixaram cair no esgoto.

Sem contar o molho picante que diz vir no lanche mas assim como um outro monstro, o do Lago Ness, não foi encontrado.

Eu nunca tinha comido no A Chapa e se for resumir minha experiência nesse restaurante baseado nesse hambuerguer, eu nunca mais piso nesse antro de tristeza e apatia pela preparação de lanches na minha vida. Realmente não acredito que essa seja a norma da casa, afinal, eles estão fazendo lanches desde 1967. Possivelmente é algum tipo de piada que os deuses devem fazer de “vamos irritar o Felipe já que ele fica engraçado quando está bravo” e acreditem, isso acontece bastante.

P.S. Para aqueles que acreditam que eu não sei escrever hambúrguer, olhem esse vídeo aqui  e entendam o motivo de eu ter escrito errado e toda a glória de Steve Martin.

58 – Pessoas que usam farol alto na cidade

April 6, 2015

2jga24i

Olá senhoras e senhores, como estão todos? Novamente, não que eu me importe muito, mas é um jeito fácil de começar um post, então eu não quero realmente sabe como vocês estão.

Dentre as diversas coisas que aconteceram desde que eu parei de escrever, a que interessa para o desenvolvimento do post é que agora eu tenho um carro e isso quer dizer que eu tenho que lidar com muito mais filho da puta do que antes, então podemos dizer que ter carro é uma benção e uma maldição. Por um lado eu não tenho que aguentar mais ninguém fedendo do meu lado, por outro existem diversos seres humanos que mesmo falhando no psicotécnico estão dirigindo por São Paulo.

Do seleto grupo de retardados que possuem carteira de motorista, existe uma classe que deveria ser jogada diretamente numa colmeia de vespas africanas mutantes, que são os putos que dirigem com o farol alto ligado. Se você começou a esboçar o pensamento de que é lei que você guie seu carro com o farol alto ligado, pode parar por aqui, pois não só é ilegal dirigir com o farol alto ligado em lugares com iluminação publica, como cita o artigo 181 Regulamento do Código Nacional de Trânsito – Decreto 62127/68, mas também é coisa de quem não tem o menor respeito pelas córneas alheias.

Como vocês podem ver, esse decreto é de 1968, desde aquela época foi definido que não era permitido por lei você cegar seu amiguinho de via com a porra do farol alto queimando a retina dele e olha que naquela época nem existia farol de Shenon, Xenom, Xenon, que queima mais intenso que a porra do Sol e aparentemente, se você tem um, é sua obrigação ligá-lo e foder com a vista de qualquer mortal que esteja na sua frente ou na direção contrária.

Claro que ainda temos o combo farol alto + farol de milha, pois não existe limite pra filha da putagem do ser humano.

Minha dica para quem faz esse tipo de coisa é comprar uma lanterna, enfiar no cu de sua progenitora e acender, ai você amarra a velha no capô do carro e manda ela abrir a boca.

56 – A música “Sampa” do Caetano Veloso

January 31, 2013

Sampa

Atenção leitores, muito desse texto é praticamente meu gosto > seu gosto, bairrismo e birras, então se você não concorda com o meu gosto, saiba que você está errado.

Sério, quem foi a pessoa que achou que “Sampa” seria uma boa música para representar a grandiosidade da minha cidade? Um samba (samba?) sem sal nem açúcar, cantada por alguém que pouco está se fodendo para Sampa e ainda por cima nem paulista é.

Veja que eu ainda nem comecei a falar mal da música em si, minha birra é o status que essa música ganhou, basta ela tocar e diversos quadrúpedes já começam a babar ovo, dizendo que esse samba/bossa nova é a cara de São Paulo. Só se for uma outra São Paulo que não é a que eu moro.

Acho que o problema de quem é famoso é que seja lá o que for que a pessoa grava, mesmo que essa mesma pessoa admita que a música é ruim, vai ter um monte de gente defendendo com unhas e dentes o artista e enaltecendo como se ele fosse um deus. Infelizmente, Caetano Veloso tem esse tipo de fã, sabe quem tambem tem esse tipo de fã? José Dirceu.

Notem que eu não estou falando de nenhuma outra música dele e não estou aqui para discutir se ele é bom ou não (não, ele não é) ou se a Tropicália só deu certo por que ele estava presente (não de novo), mas sim da escolha da música como “hino” de São Paulo, que tenho certeza que deve ter sido escolhida por voto popular e todos sabemos que o povo é meio burrinho para algumas coisas.

Não sou músico, não sou estudioso de música, mas “Sampa” é chata pra caralho. Agora você fala: “Ain Felipe, então qual seria o hino de São Paulo?” e eu tenho a resposta bem aqui, não só uma, mas várias músicas que podem muito bem ser o hino da minha cidade e que com certeza representam São Paulo

Isto é São Paulo – Demônios da Garoa

Se você me disser que não conhece Demônios da Garoa, faça o favor de bater a cabeça na parede agora…pode ir, eu espero…Bateu? Então agora veja esse link: http://www.youtube.com/watch?v=oh02_UzSvZg
Aí você fala: “Ain Felipe, isso é samba, eu sou muito hardcore e não gosto de samba” e eu digo que você é limitado. Essa música fala de diversos aspectos exaltando a grandiosidade de São Paulo e tudo o que ela tem para oferecer para os paulistanos e para o resto do Brasil, montando um retrato maior do que uma esquina.

São Paulo, São Paulo – Premeditando o Breque

Ok, essa música não é tão famosa assim e ela tem um tom muito mais bem humorado para ser considerada um “hino”, mas ainda assim com infinitamente mais conteúdo do que a “Sampa” do senhor Veloso e de quebra você acaba conhecendo um porrilhão de bairros da minha querida cidade.
http://www.youtube.com/watch?v=JvowPN1B1Ww

Além dessas duas, ainda poderíamos colocar nessa lista a Pobre São Paulo do Ira, Bom dia São Paulo do Joelho de Porco, São Paulo do 365.

Basicamente qualquer outra música representaria melhor São Paulo, não sei se você ouviu todas as músicas que eu coloquei aqui, mas se ouviu, primeiro agradeça por eu melhorar essa sua porcaria de gosto musical e depois vamos fazer um exercício com o Tio Felipe. O que todas as músicas que eu falei têm em comum e é a principal diferença da música do Caetano? Todas elas falam da cidade em sim, de suas qualidades, defeitos, bairros e por ai vai. Agora a do Senhor Veloso? Fala sobre o que ele sente quando está em São Paulo e sobre encontrar os amiguinhos dele, não sei, mas pra mim isso parece egocentrismo demais, fazer uma música sobre a cidade e usar para falar de si mesmo.

“Não quero ver mais essa gente feia,
Nem quero ver mais os ignorantes,
Eu quero ver gente da minha terra,
Eu quero ver gente do meu sangue.”

Pobre Paulista – Ira

55 – Jujuba sabor anis

January 24, 2013

jujuba

Acharam que eu ia abandonar o blog de novo, né? Pois não foi dessa vez que você se verão livre do meu ódio, claro, se você parar de entrar aqui vai se ver livre de mim, mas sabemos que você não consegue viver sem minhas reclamações.

Olhem bem essa foto, prestem muita atenção, pois nesse aparente mar de açúcar em forma física existe uma das piores brincadeiras já feita pela indústria jujubistica, ela está ali, como quem não quer nada, se misturando com as outras cores, aguardando você se distrair e pegá-la ao acaso. Ah, confie em mim, você sempre acaba se descuidando e colocando uma dessas na boca, a famigerada jujuba sabor anis.

Quem é o filho de uma remelenta que pensou que anis seria um ótimo sabor para colocar em jujuba? Certamente alguém que odeia a humanidade e foi pro inferno sabendo que causou traumas infinitos em crianças que, em sua total inocência, achavam que azul seria o sabor do céu, ou talvez uma fruta que nunca antes foi encontrada. Somente para ter seus sonhos destruídos como um filhote de pato caindo no moedor de carne.

As jujubas são conhecidas por terem sabor de fruta, isso todo mundo sabe, agora me diz se anis é uma fruta? Claro que não, essa porra é uma planta medicinal! MEDICINAL! Sério mesmo que alguém achou que combinava colocar essa merda azul no meio do pacote?

Isso me lembrou da época de escola que sempre tinha aquele filho da puta que levava “drops” e quando você pediu bala, o corno sacava aquele pacotinho azulado de balas de anis e depois perguntava por que sofria bulling.

Agora sempre que eu compro jujuba agora eu fico escolhendo o pacote que tem menos azul e com certeza o dono da bomboniere acha que eu tenho problemas mentais, pois eu gasto vários minutos até encontrar um que tenha poucas jujubas de anis, pois é impossível escapar 100% do que é a piada de humor negro mais famosa dos doces.

E por favor, nada de comentárioa do tipo: “Ain, mas eu gosto de jujuba de anis”, pois você estará errado, passará vergonha na frente de seus familiares quando lerem o absurdo que você escreveu e será piada em todos os seus círculos de convívio.

P.S. Chegou aos meus ouvidos que a jujuba que eu estou falando se chama “delicado”, mas como eu nunca ouvi isso na minha vida, vou continuar chamando de jujuba.

54 – Campanha publicitária da Gillette

January 2, 2013

tony-ramos-div-globo-tlTony Ramos aprova essa postagem e está claramente chateado com a Gilette

Olá pessoas que ainda acreditam que um dia esse blog voltaria a ativa ou para você olho gordo que fica rezando para esse blog não voltar, como estão? Não, eu realmente não me importo como estão, só tentei ser educado, pare de me contar seus problemas pois eu não sou psicólogo.

Sim, o blog vai voltar, está voltando….voltou! Quer saber o motivo da pausa? Azar o seu e vamos ao que interessa.

Acredito que a moda agora (além de bacon) é ter barba, alguns homens conseguem, outros sempre vão ter aquela barba falha de adolescente e a vida é assim mesmo, mas o que acontece quando muitas pessoas param de fazer a barba? Se você respondeu “ela cresce”, eu quero que você tenha uma cãimbra no baço. O que acontece é que as empresas de lâminas de barbear estão começando a perceber que, pessoas não fazendo barba = menos dinheiro para a empresa.

Como essa coisa de barba veio de moda, para combater isso a Gillette também está apostando em moda, mas ao contrario do que foi com a barba, eles estão querendo forçar uma moda via publicidade na TV, internet e rádio falando que homem “de verdade” não é o homem peludo e sim o lisinho, que homem peludo é da idade da pedra e que para pegar mulher é preciso depilar não só a cara, como o resto do corpo também.

Assim, eu não sou um profundo conhecedor de homem, sei sobre eu mesmo e pronto, mas até onde eu sei o homem é definido pelo seu caráter e não se ele tem pelos ou não, fora que forçar uma imagem de que se você não raspar o corpo você não vai pegar mulher é muito filha da putagem pra ganhar dinheiro, afinal não existem estudos (até onde eu sei) sobre a preferência da mulherada, eu conheço algumas que não gostam de homens sem pelo e outras que gostam de pelo.

Então querida Gillette, vai tomar no meio do seu cu pois meus pelos estarão onde sempre estiveram, no meu corpo (quase) inteiro e que você vá a falência com esse seu marketing escroto de querer ditar o que o homem deve fazer com seus pelos.

53 – Pista VIP

June 16, 2011

Olá meros mortais que são agraciados eventualmente com minhas sábias palavra nesse blog, como estão? Tudo ruim? Foda-se, aqui não é o programa da Marcia.

O post de hoje é sobre uma das maiores filha da putagem que foi criada nesse mundo capitalista em que vivemos, a famosa pista VIP, pois não basta você querer ver sua banda, você tem que querer ver sua banda e vender um rim no processo, 2 se você não tiver carteirinha de estudante, mas hey, os organizadores de eventos aqui no Brasil acham que não precisamos dos nossos 2 rins.

Quando eu era mais novo a política de venda de ingresso era (pelo menos na minha cabeça): pista, qualquer outra lugar longe pra caralho e colorido e amigos e parentes da banda, como infelizmente o Ozzy não me considera como um filho que ele nunca teve e o Angus Yung me bateria se eu chamasse ele de tio, me sobrava comprar o ingresso de pista, chegar cedo pra caralho junto com uma muvuca de outros fãs, dividir as bebidas e bolachas e assim que abrir o portão, correr como um ataque orc para chegar na grade e olha que alguns concorrentes esram tão grandes, feios e fedidos como um orc de verdade.

Hoje em dia, tudo o que você precisa fazer é ser rico, ter um pai rico ou vender 2 rins para comprar a porra do ingresso de pista VIP do caralho e pronto, você está na zona de respingo de suor da sua banda nem tão preferida assim mas foda-se você tem dinheiro pra ficar perto e pronto.

O que eu acho errado é essa divisão de pistas, porra, pista é pra pessoa que quer curtir o show no meio da galera, entrar em roda de bate cabeça e ficar na grade cantando junto, o propósito da pista VIP é contra todo o principio de pista, já que não vai depender da força de vontade da pessoa de se matar na fila pra ficar perto, e sim de quem tem mais dinheiro, por isso achei bem feito quando quebraram a grade que separava a pista VIP do SWU.

Se você não concorda com o que está escrito acima, você provavelmente curte uma bandinha obscura que faz show pra 30 pessoas e que quase ninguém ouviu falar pois não é mainstream, ou seja, pode ir se foder.

Uma solução seria tirar essa frescura de pista VIP e voltar ao tempo da disputa por lugar sem usar cheat code, mas como isso nunca vai acontecer, que pelo menos coloquem a pista VIP só um pouquinho mais cara, assim aquele fã da banda que não tem grana pode vender a mistura do almoço e ver a banda mais de perto. Claro que derrubar grades e invadir sempre é uma opção.

52 – Chapelarias/Guarda-volumes

May 12, 2011

Quão filho da puta e miserável alguém tem que ser para cobrar 5 reais para você deixar a blusa, camiseta, bolsa, mochila, papagaio ou qualquer outra porcaria? Aparentemente um filho da puta que tem uma balada qualquer.

Não sou mão de vaca e nem tão pobre que não poderia pagar 5 reais para deixar minha jaqueta nesse lugar, mas tudo é uma questão de princípios, e eu deixei bem claro para a namorada que não deixaríamos nossas coisas nesse lugar, ela protestou mas no final, eu ganhei, não deixamos nossas coisas lá.

Se você for pensar, tudo tem um valor que seria o real e o valor percebido, que é quanto o seu cérebro acha que valeria essa coisa, pois bem, acompanhem meu raciocínio. Quanto você acha que deveria custar um lugar que pega sua blusa e coloca numa prateleira mofada, e que, até onde você sabe, pode ter um ninho de ratos e te dá um papel afirmando que esse papel agora é sua blusa, adicione na sua imaginação que esse lugar que quer fazer isso por você cobra, apenas para você entrar e consumir o oxigênio desse lugar 22 reais, e que a cerveja Skoll custa 6 reais. Imaginou a cena? Agora me responde quanto deveria custar o uso da chapelaria do lugar? Acertou quem disse 0 reais.

“Mas Felipe, o dono da balada tem que pagar seus funcionários”. E eu respondo: Sim, e eu com isso? O lucro que esse cara tem superfaturando todos os produtos que vende e ainda cobrando entrada, deveria ser o suficiente para ele oferecer a chapelaria como cortesia, e explicando novamente, não é pelo dinheiro, é por eu não concordar que a chapelaria é algo que deva ser cobrado, já que é um serviço inútil.

Imagina se bancos e supermercados descobrem que as pessoas pagam para deixar suas coisas enquanto fazem compras ou usam o banco e resolvem fazer o mesmo? Quer comprar seu leite ninho e tem sacola? Foda-se, me pague 10 reais ou não vai entrar aqui. Quer fazer um deposito e tá com sacola na mão? Foda-se, você deve ser um assaltante, pague 10 reais ou não vai depositar merda nenhuma.

Acho que podemos adicionar nesse post também os Valets de estacionamento, que cobram 20 ou 30 reais pra estacionar seu carro, ou seja, eles cobram essa grana pra te chamar de retardado, pois eu sei muito bem estacionar meu carro, se bobear, ainda estaciono melhor que eles.

Esses serviços que eu falei aqui todos são opcionais, paga quem quer, mas se eles ainda existem, quer dizer que tem trouxa que paga.