56 – A música “Sampa” do Caetano Veloso

janeiro 31, 2013

Sampa

Atenção leitores, muito desse texto é praticamente meu gosto > seu gosto, bairrismo e birras, então se você não concorda com o meu gosto, saiba que você está errado.

Sério, quem foi a pessoa que achou que “Sampa” seria uma boa música para representar a grandiosidade da minha cidade? Um samba (samba?) sem sal nem açúcar, cantada por alguém que pouco está se fodendo para Sampa e ainda por cima nem paulista é.

Veja que eu ainda nem comecei a falar mal da música em si, minha birra é o status que essa música ganhou, basta ela tocar e diversos quadrúpedes já começam a babar ovo, dizendo que esse samba/bossa nova é a cara de São Paulo. Só se for uma outra São Paulo que não é a que eu moro.

Acho que o problema de quem é famoso é que seja lá o que for que a pessoa grava, mesmo que essa mesma pessoa admita que a música é ruim, vai ter um monte de gente defendendo com unhas e dentes o artista e enaltecendo como se ele fosse um deus. Infelizmente, Caetano Veloso tem esse tipo de fã, sabe quem tambem tem esse tipo de fã? José Dirceu.

Notem que eu não estou falando de nenhuma outra música dele e não estou aqui para discutir se ele é bom ou não (não, ele não é) ou se a Tropicália só deu certo por que ele estava presente (não de novo), mas sim da escolha da música como “hino” de São Paulo, que tenho certeza que deve ter sido escolhida por voto popular e todos sabemos que o povo é meio burrinho para algumas coisas.

Não sou músico, não sou estudioso de música, mas “Sampa” é chata pra caralho. Agora você fala: “Ain Felipe, então qual seria o hino de São Paulo?” e eu tenho a resposta bem aqui, não só uma, mas várias músicas que podem muito bem ser o hino da minha cidade e que com certeza representam São Paulo

Isto é São Paulo – Demônios da Garoa

Se você me disser que não conhece Demônios da Garoa, faça o favor de bater a cabeça na parede agora…pode ir, eu espero…Bateu? Então agora veja esse link: http://www.youtube.com/watch?v=oh02_UzSvZg
Aí você fala: “Ain Felipe, isso é samba, eu sou muito hardcore e não gosto de samba” e eu digo que você é limitado. Essa música fala de diversos aspectos exaltando a grandiosidade de São Paulo e tudo o que ela tem para oferecer para os paulistanos e para o resto do Brasil, montando um retrato maior do que uma esquina.

São Paulo, São Paulo – Premeditando o Breque

Ok, essa música não é tão famosa assim e ela tem um tom muito mais bem humorado para ser considerada um “hino”, mas ainda assim com infinitamente mais conteúdo do que a “Sampa” do senhor Veloso e de quebra você acaba conhecendo um porrilhão de bairros da minha querida cidade.
http://www.youtube.com/watch?v=JvowPN1B1Ww

Além dessas duas, ainda poderíamos colocar nessa lista a Pobre São Paulo do Ira, Bom dia São Paulo do Joelho de Porco, São Paulo do 365.

Basicamente qualquer outra música representaria melhor São Paulo, não sei se você ouviu todas as músicas que eu coloquei aqui, mas se ouviu, primeiro agradeça por eu melhorar essa sua porcaria de gosto musical e depois vamos fazer um exercício com o Tio Felipe. O que todas as músicas que eu falei têm em comum e é a principal diferença da música do Caetano? Todas elas falam da cidade em sim, de suas qualidades, defeitos, bairros e por ai vai. Agora a do Senhor Veloso? Fala sobre o que ele sente quando está em São Paulo e sobre encontrar os amiguinhos dele, não sei, mas pra mim isso parece egocentrismo demais, fazer uma música sobre a cidade e usar para falar de si mesmo.

“Não quero ver mais essa gente feia,
Nem quero ver mais os ignorantes,
Eu quero ver gente da minha terra,
Eu quero ver gente do meu sangue.”

Pobre Paulista – Ira

Anúncios

55 – Jujuba sabor anis

janeiro 24, 2013

jujuba

Acharam que eu ia abandonar o blog de novo, né? Pois não foi dessa vez que você se verão livre do meu ódio, claro, se você parar de entrar aqui vai se ver livre de mim, mas sabemos que você não consegue viver sem minhas reclamações.

Olhem bem essa foto, prestem muita atenção, pois nesse aparente mar de açúcar em forma física existe uma das piores brincadeiras já feita pela indústria jujubistica, ela está ali, como quem não quer nada, se misturando com as outras cores, aguardando você se distrair e pegá-la ao acaso. Ah, confie em mim, você sempre acaba se descuidando e colocando uma dessas na boca, a famigerada jujuba sabor anis.

Quem é o filho de uma remelenta que pensou que anis seria um ótimo sabor para colocar em jujuba? Certamente alguém que odeia a humanidade e foi pro inferno sabendo que causou traumas infinitos em crianças que, em sua total inocência, achavam que azul seria o sabor do céu, ou talvez uma fruta que nunca antes foi encontrada. Somente para ter seus sonhos destruídos como um filhote de pato caindo no moedor de carne.

As jujubas são conhecidas por terem sabor de fruta, isso todo mundo sabe, agora me diz se anis é uma fruta? Claro que não, essa porra é uma planta medicinal! MEDICINAL! Sério mesmo que alguém achou que combinava colocar essa merda azul no meio do pacote?

Isso me lembrou da época de escola que sempre tinha aquele filho da puta que levava “drops” e quando você pediu bala, o corno sacava aquele pacotinho azulado de balas de anis e depois perguntava por que sofria bulling.

Agora sempre que eu compro jujuba agora eu fico escolhendo o pacote que tem menos azul e com certeza o dono da bomboniere acha que eu tenho problemas mentais, pois eu gasto vários minutos até encontrar um que tenha poucas jujubas de anis, pois é impossível escapar 100% do que é a piada de humor negro mais famosa dos doces.

E por favor, nada de comentárioa do tipo: “Ain, mas eu gosto de jujuba de anis”, pois você estará errado, passará vergonha na frente de seus familiares quando lerem o absurdo que você escreveu e será piada em todos os seus círculos de convívio.

P.S. Chegou aos meus ouvidos que a jujuba que eu estou falando se chama “delicado”, mas como eu nunca ouvi isso na minha vida, vou continuar chamando de jujuba.

54 – Campanha publicitária da Gillette

janeiro 2, 2013

tony-ramos-div-globo-tlTony Ramos aprova essa postagem e está claramente chateado com a Gilette

Olá pessoas que ainda acreditam que um dia esse blog voltaria a ativa ou para você olho gordo que fica rezando para esse blog não voltar, como estão? Não, eu realmente não me importo como estão, só tentei ser educado, pare de me contar seus problemas pois eu não sou psicólogo.

Sim, o blog vai voltar, está voltando….voltou! Quer saber o motivo da pausa? Azar o seu e vamos ao que interessa.

Acredito que a moda agora (além de bacon) é ter barba, alguns homens conseguem, outros sempre vão ter aquela barba falha de adolescente e a vida é assim mesmo, mas o que acontece quando muitas pessoas param de fazer a barba? Se você respondeu “ela cresce”, eu quero que você tenha uma cãimbra no baço. O que acontece é que as empresas de lâminas de barbear estão começando a perceber que, pessoas não fazendo barba = menos dinheiro para a empresa.

Como essa coisa de barba veio de moda, para combater isso a Gillette também está apostando em moda, mas ao contrario do que foi com a barba, eles estão querendo forçar uma moda via publicidade na TV, internet e rádio falando que homem “de verdade” não é o homem peludo e sim o lisinho, que homem peludo é da idade da pedra e que para pegar mulher é preciso depilar não só a cara, como o resto do corpo também.

Assim, eu não sou um profundo conhecedor de homem, sei sobre eu mesmo e pronto, mas até onde eu sei o homem é definido pelo seu caráter e não se ele tem pelos ou não, fora que forçar uma imagem de que se você não raspar o corpo você não vai pegar mulher é muito filha da putagem pra ganhar dinheiro, afinal não existem estudos (até onde eu sei) sobre a preferência da mulherada, eu conheço algumas que não gostam de homens sem pelo e outras que gostam de pelo.

Então querida Gillette, vai tomar no meio do seu cu pois meus pelos estarão onde sempre estiveram, no meu corpo (quase) inteiro e que você vá a falência com esse seu marketing escroto de querer ditar o que o homem deve fazer com seus pelos.

53 – Pista VIP

junho 16, 2011

Olá meros mortais que são agraciados eventualmente com minhas sábias palavra nesse blog, como estão? Tudo ruim? Foda-se, aqui não é o programa da Marcia.

O post de hoje é sobre uma das maiores filha da putagem que foi criada nesse mundo capitalista em que vivemos, a famosa pista VIP, pois não basta você querer ver sua banda, você tem que querer ver sua banda e vender um rim no processo, 2 se você não tiver carteirinha de estudante, mas hey, os organizadores de eventos aqui no Brasil acham que não precisamos dos nossos 2 rins.

Quando eu era mais novo a política de venda de ingresso era (pelo menos na minha cabeça): pista, qualquer outra lugar longe pra caralho e colorido e amigos e parentes da banda, como infelizmente o Ozzy não me considera como um filho que ele nunca teve e o Angus Yung me bateria se eu chamasse ele de tio, me sobrava comprar o ingresso de pista, chegar cedo pra caralho junto com uma muvuca de outros fãs, dividir as bebidas e bolachas e assim que abrir o portão, correr como um ataque orc para chegar na grade e olha que alguns concorrentes esram tão grandes, feios e fedidos como um orc de verdade.

Hoje em dia, tudo o que você precisa fazer é ser rico, ter um pai rico ou vender 2 rins para comprar a porra do ingresso de pista VIP do caralho e pronto, você está na zona de respingo de suor da sua banda nem tão preferida assim mas foda-se você tem dinheiro pra ficar perto e pronto.

O que eu acho errado é essa divisão de pistas, porra, pista é pra pessoa que quer curtir o show no meio da galera, entrar em roda de bate cabeça e ficar na grade cantando junto, o propósito da pista VIP é contra todo o principio de pista, já que não vai depender da força de vontade da pessoa de se matar na fila pra ficar perto, e sim de quem tem mais dinheiro, por isso achei bem feito quando quebraram a grade que separava a pista VIP do SWU.

Se você não concorda com o que está escrito acima, você provavelmente curte uma bandinha obscura que faz show pra 30 pessoas e que quase ninguém ouviu falar pois não é mainstream, ou seja, pode ir se foder.

Uma solução seria tirar essa frescura de pista VIP e voltar ao tempo da disputa por lugar sem usar cheat code, mas como isso nunca vai acontecer, que pelo menos coloquem a pista VIP só um pouquinho mais cara, assim aquele fã da banda que não tem grana pode vender a mistura do almoço e ver a banda mais de perto. Claro que derrubar grades e invadir sempre é uma opção.

52 – Chapelarias/Guarda-volumes

maio 12, 2011

Quão filho da puta e miserável alguém tem que ser para cobrar 5 reais para você deixar a blusa, camiseta, bolsa, mochila, papagaio ou qualquer outra porcaria? Aparentemente um filho da puta que tem uma balada qualquer.

Não sou mão de vaca e nem tão pobre que não poderia pagar 5 reais para deixar minha jaqueta nesse lugar, mas tudo é uma questão de princípios, e eu deixei bem claro para a namorada que não deixaríamos nossas coisas nesse lugar, ela protestou mas no final, eu ganhei, não deixamos nossas coisas lá.

Se você for pensar, tudo tem um valor que seria o real e o valor percebido, que é quanto o seu cérebro acha que valeria essa coisa, pois bem, acompanhem meu raciocínio. Quanto você acha que deveria custar um lugar que pega sua blusa e coloca numa prateleira mofada, e que, até onde você sabe, pode ter um ninho de ratos e te dá um papel afirmando que esse papel agora é sua blusa, adicione na sua imaginação que esse lugar que quer fazer isso por você cobra, apenas para você entrar e consumir o oxigênio desse lugar 22 reais, e que a cerveja Skoll custa 6 reais. Imaginou a cena? Agora me responde quanto deveria custar o uso da chapelaria do lugar? Acertou quem disse 0 reais.

“Mas Felipe, o dono da balada tem que pagar seus funcionários”. E eu respondo: Sim, e eu com isso? O lucro que esse cara tem superfaturando todos os produtos que vende e ainda cobrando entrada, deveria ser o suficiente para ele oferecer a chapelaria como cortesia, e explicando novamente, não é pelo dinheiro, é por eu não concordar que a chapelaria é algo que deva ser cobrado, já que é um serviço inútil.

Imagina se bancos e supermercados descobrem que as pessoas pagam para deixar suas coisas enquanto fazem compras ou usam o banco e resolvem fazer o mesmo? Quer comprar seu leite ninho e tem sacola? Foda-se, me pague 10 reais ou não vai entrar aqui. Quer fazer um deposito e tá com sacola na mão? Foda-se, você deve ser um assaltante, pague 10 reais ou não vai depositar merda nenhuma.

Acho que podemos adicionar nesse post também os Valets de estacionamento, que cobram 20 ou 30 reais pra estacionar seu carro, ou seja, eles cobram essa grana pra te chamar de retardado, pois eu sei muito bem estacionar meu carro, se bobear, ainda estaciono melhor que eles.

Esses serviços que eu falei aqui todos são opcionais, paga quem quer, mas se eles ainda existem, quer dizer que tem trouxa que paga.

51-) Mendigos uniformizados

abril 18, 2011

Sim, finalmente um post novo, depois de mais de alguns meses, eis que estou de volta à escrever essa merda, e não é da sua conta o motivo de eu ter parado, então nem pergunte, mas não se esqueça, o ódio pode entrar em coma, mas ele nunca morre!

Bom, para você que acabou de conhecer meu blog, deixe-me explicar, eu trabalho na Av. Paulista, então se você não é de São Paulo, imagina uma avenida grande e larga que tem mais pessoas que restaurantes e calçadas, isso é o inferno onde fica meu trabalho, e como se isso não bastasse, de um tempo pra cá, a Paulista ganhou mais uma forma de me irritar, são eles: Os mendigos do Greenpeace, os mendigos Hare Krishna, os mendigo de colete laranja (que eu não sei qual entidade eles são).

Sim, eu digo mendigo pois é o que eles são, ok, uma forma menos fedorenta de mendigos, mas ainda assim, afinal, acompanhem comigo:

– Mendigos pedem dinheiro, esses aí também.
– Mendigos têm algo que te deixa meio mal de não ajudar, esses aí também.
– Mendigos são invasivos e te abordam na maior cara de pau, esses aí também.
– Mendigos normalmente não te mostram o que fizeram com seu dinheiro, esses aí também.
– Mendigos têm histórias tristes para contar e pegar seu dinheiro, esses aí também.

Eu odeio pessoas me abordando na rua, seja para o que for, mesmo que seja para perguntar as horas, eu simplesmente não gosto que estranhos puxem assunto comigo, isso me deixa meio desconfortável, agora imagina você andando na rua e vem um desses hippies com colete do Greenpeace querendo falar comigo, o pior é que eles andam em bando, então você tem que fazer malabarismo pra não topar com eles, e nunca, EU DISSE NUNCA, faça contato olho no olho com eles, se você fizer isso, já era, eles irão te abordar com certeza. Mas cara, você tem que ajudar o planeta, e eu digo, foda-se o planeta, eu já faço minha parte, não preciso dar dinheiro para me sentir melhor.

Finalmente você desvia de todos eles e ao longe você avista homens de cabeça raspada e roupas coloridas, e eles estão felizes por estarem lá, só aí já dá pra ver o problema, quem nesse mundo está feliz na Av. Paulista, com certeza não as pessoas que têm um trabalho de verdade e precisam pagar contas no final do mês, agora esses hippies religiosos podem estar feliz, pois eles não fazem porra nenhuma da vida a não ser tentar vender aqueles livrinhos de merda sobre a salvação ou o nirvana ou qualquer merda assim, mas se você não quer ou não tem dinheiro para dar a doação necessária para ganhar o livro, não tem problema, eles aceitam qualquer moeda que você tiver.

E por último, bem perto do metro, um grupo de colete laranja, que até hoje eu não sei qual é a desse pessoal, nem o motivo que eles querem arrancar seu dinheiro, já que, com muita sorte, eu sempre desviei deles, mas deve ser alguma coisa idiota o suficiente para me deixar puto de raiva.

Sabe, você quer ajudar o planeta, quer mostrar como sua religião é bonita ou mesmo cadastrar pessoas para ter o rim roubado, ótimo, pode fazer, mas vá fazer na puta que o pariu e não saia perseguindo quem não quer nem ao menos saber do que se trata a sua organização maldita, eu não sou banco, não tenho dinheiro sobrando, não tenho coração mole, falar comigo é uma perda de tempo, do meu e do seu.

Quer realmente ajudar alguém? Pague uma pinga pra um mendigo, pelo menos você sabe exatamente para que seu dinheiro foi usado.

50 – Telefônica

julho 27, 2010

Meu ódio por esse empresa e total e irrestrito, seja pelo telefone, speedy, TV a cabo ou qualquer outro produto dessa empresa maldita, sabe porque? Tudo se resume a ligar para o centro de relacionamento do cliente e ai que começa o inferno.

Primeiro que eles substituíram a porra do atendimento humano por uma maquina idiota que pede para você falar com ela o que você quer:

– Diga agora o número de telefone que deseja consultar

– Dois, Dois, Um, Seis, X, X, X, X.

– O telefone Dois, Um, Um, Seis, X, X, X, X. não consta na lista de assinantes, por favor repita pausadamente….

– Dois, Dois, Um, Seis, X, X, X, X.

– Fale pausadamente o tipo de informação que você precisa.

– Speedy

– Não entendi, por favor, fale pausadamente o tipo de informação que você precisa.

– Problemas no speedy.

– Você quer informações sobre a sua conta de telefone? Diga sim se a informação estiver correta e não se estiver incorreta.

– NÃO!
– Por favor, fale….

– SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY, SPEEDY

– Você quer relatar problemas com seu speedy?  Diga sim se a informação estiver correta e não se estiver incorreta.

(Nesse momento minha avó pergunta qualquer coisa e minha resposta para a minha vó é não)

– Fale pausadamente o tipo de informação que você precisa.

– MAS QUE FILHA DA PUTA! Não vó, não to falando com você…

– Não entendi, repita pausadamente o tipo de informação que você precisa.

– *(¨$*(¨$(@!#)$(&¨¨#$&_)(*& SPEEDY!

– Vários problemas podem ser resolvidos desligando o modem e….

– Sim, sim, sim, sim, cala a boca, sim…

– Se você for cliente do provedor terra…

– Sim, sim, sim, sim…

– Ok, vou repetir, se você é cliente…

– NÃO, NÃO, NÃO!

– Aguarde enquanto transferimos a ligação para um de nossos técnicos.

(Musiquinha do demônio num volume completamente não apropriado para a audição humana)

– Gizele Maria, em que posso ajudá-lo?

– Então, meu speedy parou de funcionar.

– Qual o número da linha, nome completo do assinante da linha, endereço de onde a linha está instalada, CPF do titular da conta?

(Depois de responder tudo)

– Ok senhor, aguarde um momento enquanto eu checo seu cadastro.

TU TU TU TU TU.

49 – Minha conta no banco

julho 27, 2010

Alguém aqui que lê esse blog também tem claros problemas financeiros ou só eu que sou um fudido na vida?

Um dia desses a mulher do banco me ligou me oferecendo uma linha de credito especial com juros baixos, que eu só pagaria mais tarde e coisas lindas e maravilhosas assim e só por curiosidade eu perguntei porque estavam me ligando e ela  respondeu qu eé pela movimentação da minha conta, que está saindo mais dinheiro do que entrando e o banco achou que que gostaria de uma linha de crédito.

Eu agradeci e disse que não precisava, foi quando ela altera a voz e fala “Mas senhor, o seu saldo está muito baixo, não é seguro ter tão pouco dinheiro”.

Porra, ela achou o que, que eu to com saldo baixo pra sacanear o banco?

Só faltou a desgraçada falar “Senhor, você não pode ter só 10 reais, você precisa de mais dinheiro na sua conta”

Caralho, desculpa, eu não tenho culpa de ser um fudido sem grana, eu juro que eu não to fazendo isso pra estragar seu trabalho.

Depois de falar com a mulher no dia seguinte eu acabei indo tirar um extrato, só pra saber quão na merda eu estava, acabou que eu tinha -5 reais, me cobraram 15 reais por ter apenas 10 reais, essa deve ser a taxa do banco por você ter pouco dinheiro, eu paguei 15 reais pro banco me tirar dinheiro, isso não faz sentido nenhum.

Resultado que agora eu tenho dinheiro negativo, -5 reais, o banco reclamou que eu tinha pouco dinheiro, e agora eu tenho dinheiro negativo, eu gostaria que eu tivesse dinheiro nenhum, mas eu tenho menos que isso, tenho dinheiro negativo. Agora mesmo qual alguma coisa seja de graça, eu não posso ter, porque eu tenho menos dinheiro que de graça. Porra, se alguém me querer me dar de graça alguma coisa eu tenho que responder que eu não posso comprar, pois eu não tenho dinheiro pra isso.

O pior é saber que quanto mais dinheiro você tem, mais o banco e dá dinheiro, eu até consigo imaginar a cena “Você, meu bom senhor que já tem uma caralhada de dinheiro, eu sinto que devo lhe dar mais dinheiro, vamos pegue mais dinheiro, aproveite e pegue os 10 reais desse cara, ele não tem dinheiro, então ele que se foda”.

Alguém aqui já esteve tão sem grana, mas tão sem grana que tudo parece uma grande piada? Então, eu to assim, indo no banco ver saldo e sair rindo pois agora tenho que trabalhar para conseguir 5 reais pra poder falar que eu estou sem grana nenhuma.

48 – Cartões de crédito e pessoas que tentam me vender um.

julho 21, 2010

Olá leitores desse maravilhoso blog que por um tempo eu esqueci completamente da existência (respira), tudo bom com vocês? Não? Foda-se, eu só perguntei pra ser educado, não quero ouvir suas lamurias.
Agora um recadinho pra quem fica me pedindo para escrever sobre Justin Bieber, Restart, Continue e coisas do tipo, favor ler a porra do FAQ, se tá com preguiça eu explico, o blog chama “Coisas que EU odeio”, onde EU, é esse aqui que vos escreve, então eu escrevo sobre o que EU quero. Foi claro? Ótimo, vamos para o post.

Quase todo mundo que eu conheço na vida tem cartão de credito, acha o aparato útil e que super ajuda na vida deles, coincidentemente, quase todo mundo que eu conheço tem dividas no cartão de crédito, viram a ligação aí?

De tempos em tempos, os bancos do universo retiram das profundezas uma lista obscura de nomes e telefones de pessoas que ainda não possuem um pedacinho de plástico que vale dinheiro, e começam a ligar para essas pessoas oferecendo o bendito pedacinho de plástico que vale dinheiro. Evidentemente, meu nome estava nessa lista, ou isso, ou eu ganhei uma fortuna e ainda não sei disso.

Só essa semana 3 empresas de cartões de crédito me ligaram para oferecer sua super mega hiper blaster Pokémon promoção imperdível e só durante o tempo da ligação, onde eu ganharia 2 cartões de credito, a primeira anuidade paga, descontos em cinema, programa de milhagem e uma bala soft verde.
Ok, entendo que essas pessoas que me ligam estão só fazendo o trabalho delas, mas foda-se, não vou solicitar um cartão de credito nunca, não é não quero hoje, vou pensar, talvez amanhã, é nunca!

Qual parte do “Eu não gosto de ter dinheiro imaginário que, se eu usar um pouquinho dele, vai me custar juros bizonhos na hora de pagar” as pessoas não entendem? Uma dessas mocinhas me falou que é quase como dinheiro, que eu posso usar para pagar minhas contas, sim, dinheiro de verdade também funciona como dinheiro e eu posso pagar minhas contas com ele e o dia que ele acabar, eu sei que eu tenho 0 dinheiros e que tenho que trabalhar para conseguir mais.
Eu tento até ser educado com essas pessoas, mas a insistência é tão grande e minha paciência tão pequena que não rola uma conversa civilizada e sempre acaba em: “Moça, eu não quero seu cartão de credito nem que tivesse um milhão de anos de anuidade paga, se sua vida dependesse de eu ter um cartão de credito, você morreria seca e esturricada, nada contra você, mas eu não quero um cartão de credito”.

Terminando a conversa eu já consigo sentir as ondas do câncer que essa mulher do outro lado da linha está me mandando, mas nem ligo.

Como espalhar o ódio e ainda sair rindo

junho 17, 2010

Olá leitores, mais uma vez aqui estou tentando trazer alguma coisa além dos meus maravilhosos textos sobre ódio, para entreter vocês, mesmo sabendo que apenas meus textos já são o suficiente.

Dessa vez vamos fazer uma brincadeira, algo como um “pega-pega” moderno, para isso basta seguir os 4 passos básicos descritos na imagem abaixo.

Olha só que legal, essa brincadeira é tão boa, mas tão boa que oferece vários pontos de melhoria na sua vida que eu com prazer descreverei aqui.

1.    Cardio – Essa é a chance de você melhorar sua saúde correndo, já que a ultima vez que você fez isso foi na copa do mundo dos Estados Unidos.

2.    Rir – Um milhão de cientistas já fizeram diferentes pesquisas sobre o riso e todas elas ajudam a pele, a saúde e outros pontos da sua vida.

3.    Espalhar o ódio – Não dizem que o melhor jeito de se curar de uma gripe é espalhando? Então, com o ódio e o mau humor também é assim, você tira de você e dá o ódio pro descoladinho, que vai rasgar a calcinha de raiva de você, ou chorar no canto.

4.    Economia – Fazendo isso você ajuda aquele chaveiro gente fina a ganhar uma graninha extra
Se alguém fizer isso e me mandar uma foto, eu pago o cadeado de volta para a pessoa.

Ah, se você não conseguiu entender o que fazer, ou mesmo a piada em si, por favor, saia do meu blog agora, eu não preciso de você aqui.

Ah², essa imagem não é minha, eu só traduzi, ela é daqui